Dê VOZ à sua comunicação_Artigo_1

ESPECIAL: DÊ VOZ À SUA COMUNICAÇÃO

Abril é o mês do Dia Mundial da Voz. Então, para lembrar sobre esse assunto tão importante para a nossa comunicação interpessoal, a partir deste post faremos uma série especial “Dê VOZ à sua comunicação”. Mas por que a Voz é tão importante? Pois, a produção da voz é uma habilidade exclusiva dos humanos e foi um dos grandes propulsores da evolução, permitindo que pudéssemos nos comunicar, trocar experiências e, por consequência, nos desenvolvermos. O primeiro post é uma apresentação sobre esse fenômeno que mistura sons e emoções, esperamos que você goste e volte para ler os demais!

O DOM MAIS AUDÍVEL: A VOZ E O QUE ELA REPRESENTA.

Uma das grandes discussões no mundo científico é desvendar como adquirimos a linguagem, em especial, a comunicação por meio da fala. Um processo totalmente natural e espontâneo, que permite que nos comuniquemos em um sem fim de modos e contextos. O primeiro grande passo para a aquisição da fala é, sem dúvidas, ouvir os sons, aprender a reconhecê-los e depois temos o terreno livre para aprender a concatená-los e falar uma língua. Somos tão jovens durante esse processo que nem ao menos nos lembramos dele.

Embora não nos lembremos, a voz toma uma parte importante neste processo, pois é por meio dela que a criança aprende a reconhecer os sons, principalmente quando a mãe começa a se comunicar com ela. Por isso, não nos assusta que muitas vezes um bebê instantaneamente pare de chorar ao ouvir a voz da mãe, mesmo ainda na sala de parto. Por esta razão é consenso entre linguistas, psicólogos e fonoaudiólogos que a voz da mãe é um elemento importante para a aquisição da linguagem de uma criança, recebendo inclusive um nome especial, chamado de Maternalês. 

Há um tempo atrás, um vídeo correu a internet. Tendo quase 10 milhões de visualizações, ele apresenta um bebê australiano com 7 semanas de idade, o pequeno Lachlan, surdo de nascença, que acabara de receber seu primeiro aparelho de surdez (https://www.youtube.com/watch?v=kanc9MKyP-A) . Pai, mãe e médica começam a falar com o garoto e sua reação passa do assombro à felicidade, denunciada por um sorriso quando ouve a voz dos pais. Este vídeo é apenas um de tantos outros existentes na internet de pessoas que ouvem pela primeira vez. Crianças sempre reagem à voz dos pais com alegria, enquanto adultos sempre perguntam “é essa que é a minha voz?”.

A fala existe, mas é só por meio da voz que podemos usá-la, que podemos torná-la significativa. Dessa forma, é a voz que gera sensações em nosso interlocutor. Ela é quase uma extensão de nossa personalidade, por isso não raro ouvimos alguém dizer “Pensei ter ouvido a sua voz” ou “Sua voz é parecida com a de fulano”. A voz é uma marca individual, um traço pessoal e, embora possa ser semelhante entre pessoas, mantem traços capazes de diferenciar uma das outras.

Quando se trata de ciência a voz é um fenômeno que atrai grande atenção e, por isso, hoje se tem um alto grau de entendimento de seu funcionamento em diversos aspectos. A princípio, a existência da voz é explicada apenas pela movimentação do ar através das pregas vocais. As pregas são como duas pequenas dobras, localizadas na laringe, que se abrem quando respiramos e se fecham quando falamos. No momento da fala, o ar vindo do pulmão encontra as pregas vocais fechadas, como a laringe é um tubo fechado por todos os lados, o ar é “pressionado” para cima pelo pulmão e encontra resistência para passar pelas pregas vocais que começam a vibrar, gerando o som de sua voz. Aliás, ainda hoje um dos maiores mistérios da ciência é tentar entender como aprendemos a fechar as pregas vocais para que pudéssemos falar. Parece complicado e confuso, mas não se preocupe falaremos mais sobre isso em um artigo destinado a anatomia da voz.

Por enquanto, para entender melhor esse assunto, faça um pequeno teste: fale um “aaaa” bem longo e coloque a mão em sua garganta. Vibra, não? Pois bem, essa vibração somada a configuração de sua boca e língua é o que faz a sua voz ser sua voz, ter as características que tem. Você pode modular essas vibrações e fazer o “a” soar mais grave (grosso) ou fazer com que ele soe mais agudo (fino). Fazemos essas variações a todo momento quando falamos e nem mesmo percebemos. Sabemos que é difícil melhorar a autopercepção para a voz, mas você pode aumentar sua sensibilidade para a própria voz e de suas variações por meio de treinamentos ou consultoria individual com fonoaudiólogo, além das aulas de canto, teatro ou locução.

Nesse sentido, a voz é essencial para a comunicação, pois ela veicula mais do que apenas a informação. Ela também é capaz de levar ao ouvinte as sensações, percepções e até mesmo desejos daquele que fala. Tornando a comunicação muito mais rica. Essa riqueza é essencial para que nos comuniquemos bem, para que deixemos transparecer nossa marca e, principalmente, para que aquilo que falamos tenha sentido e atinja nosso interlocutor. Desta forma, conhecer sua voz é conhecer também a melhor maneira de se comunicar, é poder se comunicar de maneira mais assertiva, deixando suas ideias fluírem de maneira cada vez mais clara.

Nos próximos posts iremos apresentar mais fatos sobre esse instrumento magnífico que é a voz, o que é necessário para mantê-la saudável e como nós podemos ajudar você a potencializar o modo como você se comunica!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>